30 de jul de 2015

O IBRAPP lança proposta de Núcleo Integral de Atendimento Psicossocial para Policiais


Zelar pela segurança pública requer uma força policial qualificada não apenas no quantitativo de policiais, mas também no aprimoramento das condições em que esses policiais trabalham, pois é justamente no aprimoramento dessas condições que a segurança pública pode tornar-se mais eficaz.

 Uma das formas de se atingir isso, de acordo com a coordenadora de projetos do IBRAPP, Lílian Pantoja, é garantir um serviço especializado de apoio integral aos policiais que, diante da rotina de trabalho, sofrem cargas de grande tensões e estresse. ”O trabalho de um policial torna-se estressante à medida que deve combater o crime com rigor e ficar em constante alerta a iminentes riscos, pois o mesmo ver-se no papel de “herói/agressor” quando, por exemplo, deve vigiar e punir os atores da sociedade. Além disso, a própria natureza das atividades profissionais desses policiais interferem de forma significativa na saúde mental dos mesmos quando não acompanhados, causando muitas vezes um desequilíbrio na situação de “herói/agressor” em que constantemente os policias se deparam. “É preciso que os policiais tenham não apenas um apoio psicológico, mas também um acompanhamento especializado em várias frentes que garanta a redução desse estresse e consequentemente a depressão”, afirma. 

Contudo, ainda de acordo com a coordenadora, essa especialização precisa ser estruturada por meio da contratação de uma equipe multidisciplinar que atenda, além de especificamente os interesses do bem público, a situação familiar de cada policial, uma vez que este deve ser encarado como um ser humano que tem, apesar do preparo, medos, anseios e dificuldades.

Em entrevista a nossa equipe, o policial militar do Estado do Maranhão, J.L. (32), que pediu para não ser identificado, alegou que esse tipo de trabalho seria de significativa importância para garantir o equilíbrio mental dos policiais ao serem cobrados como zeladores da segurança pública. “Somos cobrados constantemente por zelar pela segurança dos cidadãos, e por conta disso muitas vezes, vemos nossos colegas se envolverem com o álcool e serem vítimas de depressão por tamanha pressão. Nosso trabalho nem sempre também é bem visto pela sociedade quando devemos exercê-la com rigor. Em contrapartida somos pressionados pela corporação para manter a ordem pública, e por isso nos deparamos constantemente em situações que nos causam alguns distúrbios psicológicos. Uma avaliação e acompanhamento por diferentes profissionais seria super importante para exercemos nossa profissão”, afirma.

O objetivo do IBRAPP é justamente a criação de um Núcleo de Atendimento Integral para as corporações; civil, militar, federal e rodoviária, com a finalidade de realizar acompanhamento de saúde preventiva no combate a depressão, alcoolismo e outros transtornos que podem surgir no exercício das atividades policiais. 

O IBRAPP acredita que a execução desse tipo de serviço pode otimizar de forma significativa a atuação dos policiais,  e inclusive minimizar o número de policiais afastados por problemas adquiridos durante o exercício das atividades, uma vez que muitos policiais se afastam do trabalho por licença justamente por falta de tal acompanhamento, o que em ultima análise sobrecarrega a administração pública  e toda a corporação policial.

 

Nenhum comentário: